Sistemas Infra-Estruturais

SISTEMAS INFRA-ESTRUTURAIS PARA USO DA ÁGUA DAS BARRAGENS TAQUAREMBÓ E JAGUARI

A partir da construção do Modelo Gráfico, base para a distribuição da água da barragem Taquarembóe da estruturação do cadastro de usuários das duas barragens, algumas questões fundamentais para a operação dos sistemas (função da AUSM) se apresentaram:

- Considerando o usuário 24 (QAB24), que receberia a vazão outorgada, pelo leito do rio Santa Maria, sendo ele o último usuário deste trecho, produtor de arroz irrigado (veja Modelo Gráfico), com as seguintes características e situação:

Arroz: irrigação por inundação; alta vazão; bombeamento do rio Santa Maria, com dois períodos importantes – primeiros 10 dias (inundação controlada da lavoura, vazão de 2,0 litros/segundo por hectare) e na sequência 90 a 100 dias (manutenção da irrigação, vazão de 1,0 litro/segundo por hectare) para complementação do processo na lavoura de arroz. A água, para chegar ao seu ponto de captação percorreria 35 Km pelo Canal Principal, 14 Km pelo leito do Arroio Taquarembó Chico e 65 Km pelo leito do rio Santa Maria; em cada um destes trechos a água terá uma velocidade de escoamento e em cada captação, uma retirada fazendo a vazão variar: em 16 pontos de captação de altas vazões por gravidade (no canal); 20 pontos de captação de baixas vazões (irrigação por aspersão, gotejamento etc); 4 pontos de abastecimento de reservatórios (aqüicultura, piscicultura, irrigação); no ponto final do canal com captação da CORSAN para abastecimento público e em 23 pontos de captação de alta vazão, por bombeamento, nos rios.

Este percurso, as variações de vazões associadas às velocidades de escoamento da água, praticamente inviabilizam um processo de operação monitorada e controlada do sistema, com utilização otimizada da água da barragem, mesmo sem considerar as questões sócio-econômicas e ambientais que dão base a um sistema sustentável.

Por isto a AUSM propôs uma alternativa que considera todas estas questões. Elaborou, encaminhou e foi recebida pela Secretaria de Obras Públicas, Irrigação e Desenvolvimento Urbano e o Ministério da Integração Nacional, para estudos de viabilidade, que se desenvolverão segundo processo licitatório que se encontra em análise de seus Termos de Referência para serempublicados pela CECOM (Central de Compras do Estado), estando previsto nos mesmos, avaliação e revisão dos projetos básicos considerando os canais propostos.

Apresentamos aqui a descrição da proposta da AUSM para a distribuição das águas das duas barragens, através de canais, denominadaProposta de Distribuição de Águas Sistemas Taquarembó e Jaguari.

OBS: Os dados constantes nos relatórios a seguir podem ser atualizados a qualquer momento em função de alterações quantitativas, fruto de adesões de usuários ao Cadastro.

Consulte Atualizações para acompanhar a evolução deste Projeto.

Sistema_Header