O que é o PAD

O Programa Águas para o Desenvolvimento foi gerado a partir da necessidade de prover as ferramentas necessárias à consecução do propósito da função das barragens Taquarembó e Jaguari, na Bacia do rio Santa Maria, que é o de múltiplos usos de suas águas.
                A AUSM decidiu por buscar ações que proporcionem a potencialização e o incremento de resultados das atividades econômicas já praticadas na Bacia do rio Santa Maria, a partir da disponibilidade de água, assim como diversificar a matriz produtiva primária, explorando as potencialidades da região e as possibilidades de agregação de valor a estas, seja por aumento de escala de produção ou processamento industrial: o desenvolvimento regional sustentável, tendo como vetor a água.
               A AUSM procurou a EMBRAPA Clima Temperado por ser esta unidade grande geradora de tecnologias, inovações e pesquisa, aplicáveis à vocação produtiva regional, e, por isto, podendo ser um importante parceiro no propósito buscado.
               Imediatamente foi celebrado um Protocolo de Intenções entre as duas instituições, dando um marco legal ao trabalho a ser realizado.
               A partir de então foi feita consulta às comunidades de cada município da Bacia do rio Santa Maria que definiram as demandas de interesse de cada um. Estas foram apresentadas em um Seminário Técnico, sistematizadas e priorizadas para execução de trabalhos de Pesquisa, Desenvolvimento e Transferência de Tecnologias.
              No Seminário foi formalizada uma Articulação Regional composta por 37 instituições de pesquisa, extensão, ensino, representativas de setores produtivos e técnicos da região, órgãos das administrações públicas dos níveis Federal, Estadual e Municipal, organizadas em duas instâncias para realização do Projeto: Câmara Técnica e Comitê de Governança Institucional que, na sequência do trabalho, decidiram pela denominação de Programa Águas para o Desenvolvimento.                O Programa Águas para o Desenvolvimento foi gerado a partir da necessidade de prover as ferramentas necessárias à consecução do propósito da função das barragens Taquarembó e Jaguari, na Bacia do rio Santa Maria, que é o de múltiplos usos de suas águas.
                A AUSM decidiu por buscar ações que proporcionem a potencialização e o incremento de resultados das atividades econômicas já praticadas na Bacia do rio Santa Maria, a partir da disponibilidade de água, assim como diversificar a matriz produtiva primária, explorando as potencialidades da região e as possibilidades de agregação de valor a estas, seja por aumento de escala de produção ou processamento industrial: o desenvolvimento regional sustentável, tendo como vetor a água.
               A AUSM procurou a EMBRAPA Clima Temperado por ser esta unidade grande geradora de tecnologias, inovações e pesquisa, aplicáveis à vocação produtiva regional, e, por isto, podendo ser um importante parceiro no propósito buscado.
               Imediatamente foi celebrado um Protocolo de Intenções entre as duas instituições, dando um marco legal ao trabalho a ser realizado.
               A partir de então foi feita consulta às comunidades de cada município da Bacia do rio Santa Maria que definiram as demandas de interesse de cada um. Estas foram apresentadas em um Seminário Técnico, sistematizadas e priorizadas para execução de trabalhos de Pesquisa, Desenvolvimento e Transferência de Tecnologias.
              No Seminário foi formalizada uma Articulação Regional composta por 37 instituições de pesquisa, extensão, ensino, representativas de setores produtivos e técnicos da região, órgãos das administrações públicas dos níveis Federal, Estadual e Municipal, organizadas em duas instâncias para realização do Projeto: Câmara Técnica e Comitê de Governança Institucional que, na sequência do trabalho, decidiram pela denominação de Programa Águas para o Desenvolvimento.
PAD_HEADER